Esta semana é de mutirão para coleta do abaixo-assinado contra a Reforma da Previdência

Publicado: 29/05/2019 às 12:18



De 27 a 31 de maio, as Centrais Sindicais estão convocando um mutirão nacional para intensificar a coleta do abaixo-assinado contra a Reforma da Previdência. As entidades, movimentos sociais, estudantis e de luta contra as opressões que compõem as bases da CSP-Conlutas já colocaram o abaixo-assinado na rua. A tarefa agora é ampliar o seu alcance.

 

A orientação é de expandir a coleta para bairros e periferias do país, fábricas, locais de trabalho, escolas, universidades, ocupações, acampamentos, terminais rodoviários, comércio e em cada lugar onde for possível.

 

Baixe aqui o abaixo-assinado contra a Reforma da Previdência  e ajude na coleta de assinaturas.

 

A campanha servirá de impulso para que as entidades consigam coletar o maior número de assinaturas, antes da entrega ao Congresso Nacional, prevista para acontecer no início de junho.

 

Além disso, é urgente que os sindicatos e movimentos comecem também a contabilizar e centralizar as listas de assinaturas já coletadas. A Central fez um importante e expressivo trabalho de coleta que não pode deixar de ser divulgado. As listas devem ser enviadas via correio para a sede da nacional da Central, bem como, informar por e-mail à Secretaria quantas assinaturas o sindicato, entidade ou movimento coletou.

 

Abaixo-assinado como ferramenta de preparação da Greve Geral de 14 de junho

Além de colocar na rua a campanha contra a reforma de Bolsonaro, esclarecendo a população dos graves ataques que essa medida traz à classe trabalhadora e ao país, o abaixo-assinado também vem servindo como impulsionador da divulgação da Greve Geral, que está sendo convocada em defesa das aposentadorias e está marcada para acontecer em 14 de junho.

 

Em diversos locais do país, bancas estão sendo montadas e vem recebendo participação massiva da população, que recebe bem a iniciativa, o que comprova a insatisfação com a intenção de Bolsonaro de atacar os direitos previdenciários.

 

Em São José dos Campos e Jacareí (SP), o Sindicato dos Metalúrgicos está com uma banca fixa de assinatura no centro da cidade. Também existem ações permanentes em outras cidades pelo país, como Nova Iguaçu (RJ), São Paulo (SP), Fortaleza (CE), Belém (PA), entre outros.

 

Para a integrante da CSP-Conlutas Santa Catarina, Ingrid Assis Sateré, o abaixo-assinado tem sido uma demonstração de como a população é contra essa reforma que o governo Bolsonaro quer aprovar para retirar um direito conquistado com muita luta pelos trabalhadores.

 

“A aceitação para participar do abaixo-assinado tem sido muito grande. As pessoas querem saber os motivos da ação e temos aproveitado a ocasião para dialogar sobre os malefícios da reforma. Muitas pessoas estão pedindo para levar as folhas e coletas assinaturas para seus familiares e amigos”, salientou.

 

Vamos aproveitar essa boa inserção e seguir os exemplos pelo país.

 

São Gonçalo (RJ)

 

Banco no centro da cidade de São Gonçalo (RJ)

 

São Paulo (SP)

Coleta no Metrô de SP (foto: Sindicato dos Metroviários)

 

São José dos Campos (SP)

Banca na Praça Afonso Pena, em SJC (SP)

 

Fortaleza (CE)

Coleta junto à operários da construção civil em Fortaleza (CE)

 

Aracaju (SE)

 

Coleta na empresa Almaviva, em Aracaju

 


Pesquisar

Seções
Materiais